Como foram os anos de chumbo para o ex-guerrilheiro Ismael Souza

Durante os anos do Regime Militar (1964 – 1985), muitos contrários ao tipo de governo implantado fundaram grupos de guerrilha para combatê-lo e recolocar o país em uma democracia. Ismael Souza foi um deles. Muito jovem, iniciou suas atividades de luta no “partidão”, como era conhecido o então Partido Comunista Brasileiro. Após sua dissidência do partidão, integrou a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), grupo de extrema-esquerda formado em 1966 a partir da união dos dissidentes da organização Política Operária (POLOP) com militares remanescentes do Movimento Nacionalista Revolucionário (MNR). Passou um período conturbado de sua vida, em que conheceu Carlos Mariguella, Joaquim Câmara Ferreira, Carlos Lamarca, entre outros ícones daquele período.  Torturas e prisões fizeram parte de sua rotina e, hoje, ele conta sua história a quem queira saber sobre aqueles anos. Em uma palestra aos alunos do Instituto Federal de Salto, Ismael dissecou sobre sua vivência naquele período e fez críticas aos atuais movimentos de esquerda e aos que pedem por impeachment e uma possível nova intervenção militar. Saiba nesta entrevista suas opiniões, baseadas em toda sua experiência.